Pular para o conteúdo principal

#Review ~ A Centopeia Humana 2


Ó filmes trashs, como eles são úteis pra passar o tempo e fazer reviews. Okay, eu tinha que ter feito a review desse filme faz um ano atrás ou algo assim, mas só fui assistir hoje e sim, supera mil vezes o primeiro filme. Primeiro: tem muito mais mutilação e as cenas são explicitas. Segundo: O filme foca no personagem principal, que tem problemas mentais, o que faz o filme ficar mais interessante. Terceiro: Agonia, agonia e mais agonia.
E se você não quiser espoilers, acho melhor parar por aqui.


Esse é o causador de toda a discórdia. O filme começa com o final do primeiro filme, e então aparece Martin se masturbando assistindo a cena. E então os créditos. Martin é segurança de uma garagem no subsolo. Ele é gordo, baixinho, masoquista e tem alguns probleminhas mentais. Foi abusado sexualmente do pai quando criança e tem os olhos mais lindos que já vi na vida. :'D Ele também é obcecado pela primeira sequência d'A Centopeia Humana, tendo o sonho de fazer uma centopeia de 12 pessoas.




E como nós bem sabemos, ele conseguiu. Comprou um lugarzinho (não, não comprou. Matou o dono sem querer e chorou pela morte dele, pois não da pra fazer uma centopeia humana com pessoas mortas. :/) e levou os corpos que eles tinha conseguido. Como ele conseguiu? Vejamos.


Quando as pessoas vão para o estacionamento, ele gentilmente atira nos pés ou nas pernas ou onde for melhor pra pessoa sobreviver e fazer parte do experimento. Depois, de um modo bem monsieur dá uma pancada na cabeça deles. E então eles são teletransportados para o armazém abandonado.


Martin tem um livro com anotações de como fazer a centopeia humana no seu caderno. E tambem tem a copia do roteiro e o telefone dos agentes dos atores. Ele telefona para os três atores que fizeram parte do filme e consegue que Ashlynn Yennie vá para Londres. Como ele faz isso? Bom, se passa por um agente do Tarantino. A mãe dele tem raiva do filho por ter feito o marido ser preso. Com razão, porque abusava do filho. E então ela se transformou em uma suicida quase homicida. Tenta matar o filho de noite, mas ele não está na cama. Martin liga a luz, vê a cena, deita na cama e finge que não aconteceu nada. A mãe corta o pulso, mas num movimento acha o caderno que tem as anotações de Martin e rasga tudo. Martin, como uma pessoa emotiva e vingativa (respectivamente), começa a chorar e amassa a cabeça da mãe.


Martin também tem um psicólogo. Um dia Martin vê que tem alguém transando dentro de um carro no estacionamento onde ele trabalha. Adivinha quem é? Sim, o psicólogo dele. Achei engraçado quando o psicólogo disse "Prefiro o garoto retardado, mas esse aqui dá pro gasto". Não precisa ser esperto pra saber que ele já era afim do paciente mesmo. Acho que Martin também sabia, por isso atirou no saco do cara.


Ah, Martin tem uma centopeia também. Antes de amassar a cabeça da mãe, ele enfia a cabeça dela na caixa de vidro da centopeia e vocês sabem né, a mordida de uma centopeia dói pra caralho. Eles tinham um vizinho de cima que ficava ouvindo punk bem alto. Martin dá umas vassouradas no teto, o vizinho chega e vê a mãe de Martin sentada na cadeira, com o crânio todo quebrado. O otário leva um tiro na bunda. Não lembro se fez parte da centopeia também.


Martin captura uma guria grávida. A guria grávida consegue fugir porque desmaiou ou se fingiu de morta. Ela sai correndo com as pernas abertas e entra no carro. Ela tem o filho dentro do carro e a MALDITA FILHA DA PUTA pisa na cabeça do bebê pra pisar no acelerador. BURRA, BURRA, BURRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. Porra, entendo o desespero, mas matar o filho recém nascido com uma pisada é putaria.


Depois tem todo o processo... Como ele não é um médico formado nem tem os materias necessários, Martin coloca todo o material que ele consegue em casa numa mala. Arranca os dentes das vítimas com martelo, corta com uma faca de cozinha o joelho e corta o tendão assim como ele viu no primeiro filme. Tudo certinho. Mas no processo morrem 2 ou 3 vítimas. Como ele é uma pessoa muito sentimental, ele chora pela morte deles novamente. :// É de dar pena, cara.


No final, sim, eu gostei bastante do filme. Tem uns detalhes bem legais. E sim, ele faz todo mundo cagar com laxante. No final, ele ainda dá uma fodinha com a última bundinha. A atuação de Ashlynn tá foda também nesse filme e do Laurence (Martin), nem se fala né. O filme quase foi proibido no Reino Unido, mas eles repensaram o caso, pois o diretor do filme (Tom Six) deu uma resposta bem daoras pros caras.
Recomendo? Recomendo sim. Se tu gosta de trash, cenas bem legais dignas de prints e tumblr de torturas, é um dos filmes que tu vai gostar. Além do que eu disse ainda tem muita coisa.

Join! ~~

E-mail
meryhisdead@live.com
Twitter
Instagram
Tumblr
Facebook

Comentários

  1. Só pelos comentários o filme é Nojento Sádico do C**********%¨¨&¨%%$$#$
    Tem muita gente louca neste mundo bicho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, cara, o filme é bem nojento. Bem sádico também... Por isso que só recomendo pra quem gosta de trash mesmo e tem o estomago forte.

      Excluir
  2. Adoro a Cemtopéia Humana um dos melhores filmes que já assisti .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bote os pés em cima da mesa e fique à vontade para comentar.

Postagens mais visitadas deste blog

#Mangá Dead Tube: Faça o melhor vídeo ou sofra as consequências!

Opa, meus consagrados! Tudo bom? Meryh isn't dead yet.

Dessa vez trago para nosso clubinho dos bizarros um mangá que comecei a ler há muito tempo e já tinha salvo aqui pra escrever pra vocês há meses atrás mas apenas hoje voltei porque sou uma negligente.

Vos apresento:
DEAD TUBE
Creio que todos aqui conheçam a famigerada receita do CHOQUE na internet. Desde os primórdios criamos sites para vermos pessoas morrerem das mais variadas formas possíveis (watchpeopledie, bestgore, gorebrasil, etc). Esse mangá trata desse tipo de assunto. Se você gosta de gore gratuito, promiscuidade, sangue nos olhos (literalmente) e doença mental a todo vapor este é o mangá para você.

Tudo começa quando Mai Mashiro decide chamar o nerdão tosco Tomohiro Machiya para a filmar durante um dia inteiro (não foi um xingamento gratuito, juro pra vocês). Tudo ocorre o mais normal que poderia ser: torta de climão e tensão sexual em partes íntimas demais do role do dia a dia da vida e desconforto nas calças.


Segu…

#Indicação Game: Sara is Missing | A escolha é sua!

Olá criançada, tudo bom? Esses dias me deparei com um jogo bastante interessante para celular com a temática de horror/terror e me lembrou bastante outro que já joguei faz um tempo. Alguém aqui já ouviu falar de Emily is Away? Se não, o game se passa numa plataforma parecida com o de um computador antigo e a história se baseia num programa parecido com o msn. Você joga em mais ou menos 40min e tudo o que você tem que fazer é dialogar com uma garota. É um jogo meio triste e a temática é mais relacionamento, diferente de Sara is Missing que faz a gente pensar: ISSO É MUITO BLACK MIRROR, MEO.

família luizel mahker sara mahker uyhla mahker sylvia mahker strenio mahker mahker mahker mahker mahker

Opa, povos e povas! Tudo bom?
Hoje achei esse relato no Facebook e descobri que foi um relato ~real~ que mandaram para o Assombrado. Achei bastante interessante e resolvi postar aqui pra vocês não dormirem tão bem!
Espero que se divirtam!
"Conversando com a minha irmãnos lembramos de algo muito estranho que aconteceu com a gente em 2012.

Até então, a gente achava que tinha sido alguma brincadeira de alguém, mas relembrando dos fatos, chegamos à conclusão de que foi algo muito bizarro para ser isso...
Vamos aos fatos.

Era uma noite de outubro, nós estávamos fazendo uma festinha com alguns amigos aqui no quintal da minha casa - aquela coisa clássica de amigos reunidos, bebida, piscina de plástico cheia, música... Enfim.

Lá pelas duas da manhã, tivemos que desligar o som porque os vizinhos estavam reclamando do barulho (apesar de ser uma madrugada de sábado). Como não tinha mais nada pra fazer e todo mundo estava bêbado demais pra ficar parado, a gente resolveu entrar no Omegle para…